Gostou do artigo? Compartilhe!

FRATURA POR ESTRESSE

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

A fratura por estresse é um tipo de fratura silenciosa, onde não temos um mecanismo de trauma clássico. Os fatores predisponentes decorrem de sobrecarga crônica, rotinas de treinamento inadequados, participação em esportes que induzam forças de desaceleração extrema e impacto repetitivo sobre o membro acometido, geralmente decorrente de “overtraining" ou seja de treinamento além do limite fisiológico.
É muito comum em dançarinos, corredores, recrutas ou em atividades físicas de alta intensidade, sobretudo no sexo feminino. Os ossos mais acometidos são: a tíbia (osso da perna) e os metatarsos (ossos do pé). Os sintomas consistem em dor intensa durante e após os exercícios físicos. O diagnóstico inicialmente é clínico, mas pode ser confirmado, precocemente, através de Ressonância Magnética, uma vez que a radiografia não evidencia alterações nos primeiros dias de sintomas, retardando assim o diagnóstico.
O tratamento, na grande maioria das vezes é conservador, através de imobilização, suspensão do apoio e medicação analgésica. O procedimento cirúrgico só é indicado em casos onde não houve resposta ao tratamento conservador e em atletas de elite que necessitam de retorno precoce ao esporte.

Autor

Dr Thiago Pinto de Oliveira Gomes

Dr Thiago Pinto de Oliveira Gomes

Ortopedista e Traumatologista

Mestrado em Imunologia E Bioquímica de Compostos Bioativos no(a) UFVJM.